O Parque e a Cidade

Vista aérea do parque foto: José D. Senhorinho

As Unidades de Conservação são áreas criadas pelo Poder Público para preservar e proteger o patrimônio natural e cultural do País, mantendo as características naturais, os processos ecológicos e a biodiversidade.

A proteção dessas áreas é muito importante, porque preserva a mata nativa que abriga muitos animais ameaçados de extinção. Essas florestas contribuem para a fertilidade do solo, retêm as água das chuvas evitando desmoronamentos, protegem as nascentes de rios e mananciais, além de controlar a temperatura e umidade melhorando a qualidade de vida da população.

Como um laboratório vivo, o parque desenvolve diversas atividades educativas e recreativas com escolas da rede pública, privada e público em geral. Seus atrativos e contato com diferentes ecossistemas, contribui para a conscientização ambiental

Conhecido como Horto Florestal (de São Paulo), o Parque Estadual Alberto Löfgren, tem uma grande importância histórica. Foi a primeira área de conservação efetivamente implantada no Estado de São Paulo. Criada no final do século XIX com a desapropriação do Engenho da Pedra Branca, para a instalação do Horto Botânico, foi a base para a criação do Serviço Florestal no estado, hoje Instituto Florestal – órgão vinculado à Secretaria do Meio Ambiente do Governo de São Paulo.

Com beleza cênica e imensidão verde – atributos naturais para preservação permanente, abriga um mosaico diversificado de espécies vegetais e tem grande importância como área de lazer e recreação na Zona Norte da Cidade.

Situa-se ao sopé da Serra da Cantareira a 15 Km do centro. Constitui zona de amortecimento e área contígua ao Parque Estadual da Cantareira.

O Horto possui uma área de 187 hectares sendo que 35 são destinados ao Uso Público.